Crônica: Onde fica Auriflama?

Crônica: Onde fica Auriflama?
Texto assinado por Miguel Tadeu Guimarães de Campos
251Shares

Sou auriflamense de coração. Só não nasci, mas fui criado e desmamado em Auriflama.

Tanto que ainda pretendo escrever várias crônicas sobre a minha infância nesta cidade querida, lembrar lugares, pessoas, acontecimentos que marcaram minha vida e a de outros tantos.

Atualmente estou morando em Campinas. Há quase dez anos.

E é lógico que preservo minhas raízes auriflamenses. Com muito zelo, aliás.

Tanto que não perco a oportunidade de dizer com prazer que sou caipira, sou do interior, lá do fundo do estado.

E as vezes disse isso nos intervalos das audiências, nas conversas com os nobres causídicos.

Dito isso, logo vinha a pergunta: de que cidade eu era?

Aí começava uma sequência de necessárias explicações.

Primeiro, quanto ao nome. Realmente, o nome Auriflama é, deveras, diferente dos demais. De resto, tinha de ouvir o “nunca ouvi dizer”, sem me desesperar.

Mas, não satisfeito, o interlocutor perguntava onde ficava Auriflama. Na verdade, não porque queria mesmo saber, mas apenas para fazer a famosa média, se mostrar simpático, continuar a conversa.

Antes, eu explicava, dava referência de cidades ao redor, nome de rodovia, distância em quilômetros, etc…

Mas parei, não faço mais isso.

Pra que explicar pra quem não está nem aí pra minha resposta e só estava pensando em me tirar um sarro pela esquisitice do nome e pela difícil localização?

De tanto sofrer bullying arrumei uma solução, que agora me diverte.

Digo de pronto: “vou facilitar pro doutor… Auriflama fica entre Guzolândia e São Luiz da Japiúba.”

E ponto final.

Aí… é só alegria.

  • Miguel Tadeu Guimarães de Campos, 56 anos, promotor de Justiça em Campinas-SP

6 comentários sobre “Crônica: Onde fica Auriflama?

  1. Gostei do ponto de vista de como colocar as palavras para expressar seus sentimentos e lembranças da cidade que lhe acolheu. Felicidades em suas crônicas, contando seus “causos” vividos por lá e em outras cidades da região. Parabéns meu irmão e que o Senhor Jesus te ilumine nesse trabalho maravilhoso.

  2. Nasci em 1978 em Auriflama, morei no sítio do Buriti, estudei da primeira a segunda série em um escolinha no sítio depois fui estudar na Clara Carvalho de Mello na Cachopa, ia de kombi da prefeitura todos os dias. Em 1989 mudei para Americana-SP, hoje moro ao lado em Santa Bárbara d’Oeste-SP, geralmente um vez por ano eu viajo para Auriflama, gostaria de ir mais vezes, passei o último natal em Auriflama, adoro rever meus parentes, amigos de infância, tomar umas no Bar do Bianque, comer lanche no Tião, tomar sorvete na Pingo de Mel, fazer churrasco com meus amigos e parentes, pescar no Tietê e passear de carro pelas ruas da cidade. Gostaria de saber mais da história do SOREA, Sociedade Recreativa Auriflama, sempre que vou em Auriflama gosto de sentar nas arquibancadas do Estádio Geraldo Secco, se alguém saber da história do SOREA entra em contato comigo sou apaixonado por futebol… Abraços

    Marcio Nunes

    1. Olá Márcio, pois é, a história do Sorea eu não sei, mas de vez em quando vai pintar alguma história do futebol auriflamense. Abraço e obrigado pela atenção.

  3. Boa noite.
    Também amo Auriflama, nasci e vivi até meus 22 anos. Sempre que posso vou visitar meus irmãos e meus primos.
    Estou morando em Águas de São Pedro bem pertinho de Campinas.
    Abraços. Fátima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *